Mais uma vez: PMBoK não é metodologia.

A compreensão do que seja uma metodologia é muitas vezes relegada a um plano secundário nas discussões cotidianas, mesmo nas profissionais. Mas, obviamente, para referenciar metodologias, é preciso que esta compreensão seja mais bem trabalhada. Afinal, tratar algo como metodologia quando na realidade não o é, além de ser um equívoco, reforça compreensões enganosas e as consequências disto nas organizações e na formação de novos profissionais. Somemos a isso o fato de que educamos muito mais pelo exemplo que pelo discurso.

Tentemos evidenciar o que se entende por metodologia. Mas comecemos pelo conceito de método.

O Método orienta um raciocínio ou forma de trabalhar sem prendê-lo ou restringi-lo demasiadamente. Ou seja, um método conduz seu seguidor deixando-o à vontade para utilizar ferramentas e técnicas diversas no seu trabalho (seja ele de pesquisa, braçal, etc.). A função do método está na orientação de um caminho que ofereça maiores oportunidades de sucesso a uma empreitada. O Método não implica necessariamente em repetição, pois, pode-se seguir o mesmo método utilizando-se técnicas e ferramentas diversas. Pensemos, por exemplo no Método Científico que direciona uma infinidade de pesquisas de naturezas completamente diferentes.

Podemos dizer que um Método diz o rumo ou condicionantes a seguir com relação a um processo a fim de ter maior chance de sucesso. Já a metodologia corresponde a uma definição minuciosa sobre como fazer algo.

A Metodologia especifica detalhes, incluindo técnicas e ferramentas, a serem utilizadas na execução de um trabalho. A Metodologia concentra-se em definir critérios ou condições para que o trabalho seja considerado válido ou adequado. Um trabalho feito conforme uma metodologia segue procedimentos operacionais previamente definidos nesta metodologia.

Uma Metodologia baseia-se em métodos eventualmente e agrega técnicas e ferramentas a serem utilizadas, bem como sequenciamentos de operações e outros detalhes. Aplicar uma metodologia, em teoria, atribui maior eficiência ao processo de trabalho. Ou seja, os resultados obtidos tendem a atender especificações pré-estabelecidas para validação de um trabalho.

Já os Métodos utilizados na execução de um trabalho responderiam pela eficácia do trabalho. Ou seja, orientar-se pelos métodos corretos contribui para uma maior probabilidade de se chegar aos resultados ideais para a demanda.

Gosto de usar um exemplo simples: uma equação do segundo grau.

Todos aprendemos no ensino fundamental a resolver as equações do tipo ax2+bx+c=0, as chamadas equações do segundo grau. Muito provavelmente nos lembremos do Método de Báscara, aquele que calcula delta e depois calcula as duas raízes possíveis. É um método algébrico para o qual há procedimentos específicos a serem seguidos à risca (a metodologia de cálculo). É um método que produz resultados exatos.

Mas há outros métodos para resolver equações do segundo grau, por exemplo, um método gráfico. Você pode plotar a função y= ax2+bx+c num gráfico atribuindo valores para x e identificando o correspondente para y. Um bom conjunto de pontos lhe permitirá traçar a curva que representa a função. Onde a curva cruzar o eixo x estarão as raízes da equação. Certamente é um método menos preciso (sobretudo se você desenhar o gráfico à mão).

Veja que são dois métodos que levam a resultados que diferem apenas pela precisão. Mas, conforme as necessidades, qualquer um pode ser suficientemente eficaz. As metodologias de aplicação de cada método são bastante diferentes. Um usa desenvolvimentos algébricos e o outro, recursos gráficos. Usam, portanto técnicas e ferramentas bastante diferentes.

Levemos esses conceitos ao Gerenciamento de Projetos.

Em Gerenciamento de Projetos as organizações procuram criar metodologias que levem a um maior grau de eficiência no desempenho das atividades de planejamento, execução e monitoramento. Essas metodologias são construídas com base em métodos, práticas e procedimentos padrões.

As metodologias são o resultado da junção de métodos, técnicas e ferramentas na construção de orientações que detalham procedimentos, documentos e modelos a serem utilizados na execução de um trabalho. Especificamente em GP, estamos falando do trabalho de gestão (planejamento, execução e controle de projetos).

Uma metodologia, segundo Carneiro (2010), é um dos pilares que sustentam o sucesso em gerenciamento de projetos e possibilita as seguintes vantagens ao trabalho da organização:

  • Estar baseada nas melhores práticas de mercado

  • Ser ajustável às necessidades e realidades da empresa

  • Ser utilizável, ou seja, prática e não burocrática

  • Padronização de processos e documentações

  • Planejamento detalhado e controle apropriado

  • Melhoria na comunicação

  • Aumento de ef